sexta-feira, 4 de abril de 2014

Capitulo 83-"Rita tu estás a ter contracções?"

Olá meninas!!
Espero que gostem do capitulo,irei postar o próximo rapidamente depende das vossas opiniões (pois quero as ler!:P )

A fic está nos últimos capítulos e os vossos comentários são muito importantes para mim...:)
Beijinhos para todas!
Rita




(Rúben)

Ela veio até à cozinha,sentou-se e fui buscar o seu prato.

Rita-A Carolina e o Simão?-olhou para o relógio.-Já passou a hora de almoço deles.-falou preocupada.

Rúben-Fui os buscar e eles almoçaram cá em casa.

Rita-Oh nem lhes pode dar um beijinho…

Rúben-Daqui a pouco já voltam.-servi-lhe e sentei-me ao seu lado.-Estavas a dormir tão bem que não te quis acordar.-ela olhou-me e sorriu.

Depois a Rita ter almoçado subimos até ao primeiro andar.Ela foi em direcção do nosso quarto enquanto eu fui para o quarto do Tomás.

Rita-Porque vais para aí?-parou perto da porta do nosso quarto olhando-me.

Rúben-Então vou arrumar o que compramos na megastore.

Rita-Neste caso vou contigo.-fechou a porta do nosso quarto e aproximou-se de mim.

Rúben-Porque não te vais deitar?Eu consigo arrumar meia dúzia de coisas.

Rita-Já descansei suficiente hoje.

No quarto arrumamos tudo o que tinhas trazido da megastore.Ela continuava a dizer que não tinha sido necessário trazer aquelas coisas mas eu mantinha a minha opinião. Quando tudo estava no seu lugar ela sentou-se num pequeno sofá branco.Peguei no belly buds e sentei-me à sua frente.Ela por já estar habituada ao facto de eu querer “conversar” com o puto não reclamou.Permaneceu em silêncio e só me olhava…Lá de vez em quanto mostrava um sorriso.

Rita-Olha pelo os vistos acordaste aqui o pequenote.-sorriu e colocou a mão direita sobre a barriga.

Rúben-Ele está a dar pontapés?-ela acenou com a cabeça confirmando que o Tomás se estava a mexer.-Deixa-me sentir.

Ela pegou na minha mão esquerda e colocou sobre a sua barriga. Fiquei no quarto com o meu amor mais algum tempo e acabamos por de lá sair quando estava na hora de ir buscar os miúdos.Disse-lhe que seria eu a ir busca-los mas ela tanto insistiu que acabei por ceder mas com uma condição.Assim que chegasse a casa teria de me avisar que tinham chegado sã e salvos.Não pode ficar muito mais tempo em casa até porque tive de ir treinar.

Ao voltar para casa encontrei os miúdos na sala.Falei-lhes da tarde que tinha passado com a Rita na megastores Benfica e eles logo quiseram vir o que tínhamos comprado,sendo que o Simão ficou muito mais entusiasmado do que a Carolina.
Viram o que tinha trazido e depois deram as suas opiniões.A Carolina mais parecia uma “mini Rita” e para além de olhar para as compras que tínhamos com um ar  de desinteresse perguntou porque o bebé ia precisar daquilo…Agora o Simão ao contrário das mulheres aqui de casa, adorou aquilo!

Simão-E para mim pai?

Rúben-Para ti?

Simão-Sim também quero comprar umas sapatilhas do Benfica assim.

Rúben-Está bem mas vamos tratar disto.-ele deu um pequeno salto sorrindo.-Mas agora tenho uma coisa para ti.

Lembrei-me que tinha aqueles livros que comprei à alguns meses atrás para o meu pimpolho mas que a Rita preferiu por de parte.Depois de o ter ido buscar dei-los ao puto que ficou todo radiante e até me pediu para os ler depois de o aconchegar.
                                                     XXX


Tive de me levantar cedo preparar a minha mala e tomar o pequeno almoço.

Rita-Já de pé amor?-vi-a entrar na cozinha.

Rúben-Daqui a pouco tenho de sair.

Rita-Também tenho de me despachar,que ainda tenho de acordar os miúdos .

Rúben-Amor sobre isto tens a certeza que ficas bem?

Rita-Sim tenho eu consigo tomar conta deles.

Rúben-Pois eu sei mas agora estás grávida e não quero estar longe e saber que te aconteceu alguma coisa.

Rita-Toma lá calma Rúben vai correr tudo bem.

Para ficar completamente descansado decidi telefonar a alguém que me iria "ajudar".

Rúben-Obrigada por ter vindo mãe.

Mãe-Não tem problema.-entrou e deu-me um beijo no rosto.-A Rita onde está?

Rúben-Está na cozinha, mãe já liguei ao infantário eles vão ficar estes dois dias em casa assim sempre fazem companhia à Rita.

Mãe-Está bem filho.

Rúben-Mas lembre-se ela não pode fazer esforços.

Mãe-Até parece que não sei o que uma grávida pode e não pode fazer Rúben.

Rúben-Digo isto porque conheço a Rita e não quero que aconteça nada.

Mãe-E não vai acontecer.-colocou a sua mala sobre o sofá.

Rita-Anabela…-olhámos para a Rita.

Mãe-Olá Rita.-a minha mãe aproximou-se dela e abraçou-a.-Como está o meu netinho?

Rita-Está bem…Não estava à espera de a ver por aqui…

Mãe-O Rúben não lhe disse?Enquanto ele estiver fora fico cá em casa.

Rita-Não é preciso a serio.

Mãe-Nã,nã o meu filho telefonou-me e ele tem toda a razão não podes ficar sozinha.-a Rita olhou-me.

Rita- Telefonaste-lhe?

Rúben-Oh amor não quero que te aconteça nada e assim fico mais descansado.

Rita-Mas já te tinha dito que ficava bem.

Rúben-Com a minha mãe aqui em casa as coisas serão diferentes e ainda tens os miudos para te fazerem companhia,só tens de ficar deitadinha a descansar.

Anabela-Exatamente.

Pela cara da Rita era visível que tinha ficado um pouco aborrecida por ter trazido a minha mãe até cá a casa.Não por não a querer por perto mas porque achava que não precisa de ninguém em nossa para olhar por ela mas assim sempre ia mais descansado.

(Rita)

Podia ter dito ao Rúben que não precisava de uma “babysitter” mas ele,sem o meu conhecimento telefonou à Anabela e quando dei conta ela estava em minha casa.

Ele saiu e ficamos as duas na sala.

Anabela-Já tomaste o pequeno almoço?

Rita-Sim já..Anabela você tem a sua vida não precisa de estar a olhar pro mim como se fosse algum bebé.

Anabela-Eu sei que não és nenhum bebé  mas não é só o meu filho que fica mais descanso eu também fico mais descansada estando aqui contigo.

Rita-Pronto já percebi ...tal mãe tal filho.-ela gargalhou.-E a Anabela já tomou o pequeno almoço?

Anabela-Já sim.

Rita-Então vamos até ao quarto de hospedes para puder arrumar as suas coisas.

Fomos para o primeiro andar.A Anabela foi arrumar as suas roupas e eu fui acordar os meu pequeninos.

Carolina-O pai?

Rita-Ele já saiu.Foi para o aeroporto.-ao chegarem à cozinha reparam que ali não estava o Rúben.

Simão-O pai vai jogar?

Rita-Sim amanhã ele vai ter jogo.-ajudei cada um a sentarem-se.Preparei uma sandes e um copo de leite para cada um deles e sentei-me também.

Carolina-Eu queria ter visto o pai antes de ele ter ido embora…

Simão-Também eu.

Rita-Ele deu vos um beijinho enquanto vocês estavam a dormi mas daqui a pouco podemos lhe ligar.

Carolina-Sim!-sorriu.

Rita-Então primeiro comam tudinho e depois ligamos para o vosso pai.

Anabela-Olhem quem já acordou.-ouvimos a voz da Anabela e olhámos os três em direcção da porta.Ela deu um beijo na bochecha de cada um deles que pareciam estar intrigados quanto à presença dela em nossa casa.

Simão-Porque a Anabela tá aqui?

Rita-A Anabela hoje vai ficar cá em casa.

Simão-Vais dormir aqui?-olhou para a Anabela.

Anabela-Sim hoje fico em  vossa casa.

Carolina-Se o pai não tá é a Anabela que vai levar a gente para o infantário?

Rita-Não hoje e amanhã vocês ficam connosco.

Carolina-Fixe!Vamos puder ir passear?

Anabela-A vossa mãe tem de descansar mas não me importo de vos levar ao parque de diversões se quiserem.

Simão-Sim,sim!

Carolina-Podemos ir mãe?

Rita-Se prometerem que se vão portarem bem e que não vão dar muito trabalho à Anabela sim podem ir.

Simão-A gente promete.

Carolina-É a gente vai se portar bem.

Eles acabaram de tomar o pequeno almoço. A Anabela nem me deu oportunidade de lhe dar uma mãozinha na cozinha.Disse que precisa era de descansar e lá me “expulsou” dali.

Mais tarde o Simão voltou a falar no pai e como lhes tinha prometido telefonar ao Rúben peguei no telemóvel e fiz lhes a vontade.Estivemos algum tempo ao telemóvel mas quando o Rúben foi treinar teve de desligar.
Depois do almoço fiquei na cozinha com a Anabela e ia ajudando no que ela me dava permissão para fazer.

Anabela-Rita vou ao supermercado agora à tarde achas que posso levar os miúdos?Assim podíamos podiam ir ao parque.

Rita-Sim claro.

Eles pouco depois saíram com a Anabela e eu fiquei por casa.Estar parada no sofá todo o dia não era para mim…O Tomás não parava e cada vez mais estava a ficar farta de não ter nada para fazer.Levantei-me e fui até ao quarto do meu rebento.
Peguei na mala que levaria para o hospital,que agora estava vazia e coloquei sobre o muda fraldas.Comecei por colocar algumas fraldas,depois alguns dos bodies que tinha reservados para aqueles dias no hospital entre eles o que a Anabela me tinha dado.Pequenos cobertores,chupeta e ainda uma bolsa com alguns cremes que poderia precisar. A esta juntei outra mala com o que eu iria precisar para o hospital.Queria que estivesse tudo pronto e como não tinha nem o Rúben nem a Anabela  por perto podia me mexer ou pegar no que quisesse sem que tivesse alguém a mandar-me descansar.

Carolina-Mãe,mãe!-ouvi a voz da Carolina e deduzi que já tivessem chegado do seu passeio.Não demorou muito até me encontrou no quarto do Tomás.-Olha o que Anabela comprou para a gente.-trazia na mão um grande chupa todo colorido.

Rita-Vocês não andaram a pedir nada pois não?

Carolina-Não.

Simão-Mãe.-entrou também no quarto e veio se aproximar de mim e da irmã.-Eu também um chupa mãe!

Carolina-A Anabela é que comprou para a gente mãe.

Anabela-Pois foi Rita.-entrou no quarto.-Eles portaram-se muito bem, fomos ao parque e depois ao supermercado.

Tinha de reconhecer que a Anabela estava mesmo diferente não só comigo mas com os miúdos. Aprovava finalmente a minha relação com o Rúben e tratava o Simão e a Carolina como seus netos.
                                                       XXX

O tempo “voava” e a minha barriguinha não parava de crescer…Estas ultimas sete semanas tinham passado num piscar de olhos e cada vez que olhava para a minha barriga me lembrava que numa questão de dias ia ter o meu filho ao colo.

O campeonato estava praticamente no fim e hoje seria um dos últimos jogos.E por hoje se realizar um derby no estádio de Alvalade os meus pais vieram até cá a casa assim poderíamos jantar e ver o jogo todos juntos.
O Tomás não parava era pontapés aqui pontapés ali.. Fazia com que eu tivesse de estar todo o dia deitadinha no sofá.
A minha mãe trouxe jantar e antes de começar o jogo veio nos chamar à sala.

Mãe-Já podem ir para a mesa.-os miúdos foram os primeiros a levantarem-se,e atrás deles foi o meu pai.-E tu filha não queres vir comer?

Rita-Não mãe,aqui o seu neto não para um segundo.- ajeitei-me no sofá e coloquei a minha mão sobre a minha barriga.

Mãe-Mas estás  mesmo bem?

Rita-Sim estou

Mãe-Tens a certeza?

Rita-Sim...-assim que terminei de dizer aquelas palavras senti uma forte dor um pouco abaixo do meu umbigo.-Au..

Mãe-Rita tu estás a ter contracções?

Rita-Não são apenas  uns po…au-voltei a sentir outra vez outra mais mais intensa mas no mesmo lugar.

Mãe-Calma respira fundo.-aproximou-se de mim e colocou a sua mão no meu ombro.-Alberto!Alberto!!

Alberto-Está tudo bem?

Mãe-Temos de ir para o hospital.-eu limitava-me a respirar fundo e a tentar manter a calma.-Fica com a
Rita que vou buscar as malas.-levantou-se e saiu.

Carolina-A mãe está bem?

Simão-Mãe…o que se passa?-os miúdos ao ouviram a voz da minha mãe toda exaltada ficarem ainda mais preocupados.

Rita-Não se preocupem.-apenas consegui falar aquilo.O meu pai disse-lhes para eles não se preocuparem e eles voltaram para a mesa..pedi ao meu pai para telefonar à Sónia assim poderia tomar conta dos miúdos enquanto íamos ao hospital.Não sabia ao certo como isto ia terminar só queria mesmo por fim aquelas dores que rapidamente tomaram conta de mim. Entrei para o carro com o meu pai,pois a minha mãe teria de ficar em casa com os miúdos .Apenas lhe pedi que avisa-se o Rúben mas para o fazer depois do jogo.Dentro do minutos iria dar inicio o derby e o queria deixar stressado.

Na viagem para o carro ia respirando fundo enquanto ouvia o meu a perguntar a de trinta em trinta segundos se estava tudo bem.Eu acenava com a cabeça apenas.
Chegámos ao hospital e o meu pai pôs se logo a chamar por uma enfermeira.Foi até ao quarto e com a ajuda da enfermeira deitei-me sobre a maca.Continuava com aquelas dores que ficavam cada vez mais fortes..Tentava relaxar um pouco através da respiração e tentava encontrar uma posição confortável.

Dr.Victor-Boa noite.-falou quando entrou no quarto.-Rita a enfermeira disse-me que estás já a ter contrações.-aproximou-se de mim.

Rita-Tenho imensas dores no fundo da barriga…-respirei fundo.-E estão cada vez a tornarem-se mais fortes.

Dr.Victor-Vamos ver primeiro  quantos centímetros de dilatação tens.




4 comentários:

  1. Oh Rita com aquele título é impossível não deixar as leitoras todas ansiosas para o momento do cap em que as contrações apareciam!
    É agora, é agora!
    Posta rápido, posta posta posta!

    Beso
    Ana Santos

    ResponderExcluir
  2. Quero mais... Tou super curiosa para ver o próximo...

    Continua.... Cada vez ta melhor...

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a Ana, com esse título eu fiquei super curiosa, pensei que o Tomás ia dar o ar da sua graça e nasceria... Mas se a intenção de terminar assim foi nos deixar curiosas e ansiosas saiba que conseguistes.
    Amei o capítulo!!! E quero o próximo para logo, logo, porque essa espera quase me matou, mas valeu a pena.


    Beijinhos
    Lari Lima

    ResponderExcluir